JESUS E A MULHER

(08/03 Dia Internacional da Mulher)

Jesus viveu em uma cultura na qual as mulheres eram deixadas fora da vida pública. As mulheres não tinham permissão nem mesmo para estudar as Escrituras (Torah). De fato elas eram proibidas até de tocar as Escrituras para que essas não fossem ?contaminadas?.

Jesus tem uma postura diferente. Os Rabis eram proibidos de ensinar as mulheres, Mas Jesus as ensinou. Um dos exemplos foi Maria (a irmã de Lázaro) que se sentava aos pés de Jesus como uma verdadeira discípula.

Jesus quebrou barreiras, confirmando, com suas atitudes, o que, mais tarde, o apóstolo Paulo vai dizer em Gálatas 3.28: ?Não há judeu nem grego; não há escravo nem livre; não há homem nem mulher; porque todos vós sois um em Cristo Jesus?.
Jesus e a Mulher Samaritana:

A divisão entre Judeus e Samaritanos era radical e dolorosa. (Leia II Reis 17).
A rota mais rápida entre Jerusalém e a Galileia era passando por Samaria. Entretanto quando um Judeu fazia essa viagem, ia por um longo desvio para evitar o contato com os Samaritanos. Mas Jesus nunca desviava. Ele passava sempre por Samaria.

Foi durante uma dessas viagens que Jesus teve o encontro com a mulher samaritana, na cidade de Sicar, à beira do poço de Jacó (João 4). A mulher fica surpresa porque Jesus pede que ela tire um pouco da água para ele. Ela fica chocada porque Jesus era um HOMEM JUDEU e ela era uma MULHER SAMARITANA.
Na verdade, nessa história Jesus quebra vários paradigmas relacionados às tradições do seu tempo:
- Ele conversa demoradamente, em público, com uma mulher;
- Ele conversa, em público, com uma mulher samaritana;
- Ele transforma uma mulher samaritana em uma das primeiras anunciadoras do evangelho.

Os velhos paradigmas já foram quebrados e um novo paradigma já foi estabelecido pelo próprio Jesus. Já temos o referencial. Que, como como líderes do povo de Deus continuemos sendo fieis aos ensinos e ao exemplo do nosso Senhor

Bispo João Carlos