O CAMINHO DA RECUPERAÇÃO É A HUMILHAÇÃO

 

Texto base: João 21, 1-25

Durante seu convívio com Jesus, Pedro fez alguns juramentos que impressionaram, o problema é que essas promessas ficaram apenas em palavras, quando Jesus precisou de apoio, Pedro refugou e negou toda aquela dedicação que havia lhe prometido, e para piorar Jesus predisse que Pedro o negaria por três vezes, e dito e feito, porem o agravante é que “quando a fixa caiu”, Jesus estava morto, e como consertar isso agora?

Pedro não contava com a ressureição, apesar de ter sido anunciada por Jesus, os discípulos se quer consideravam essa possibilidade, porem após a sua ressureição Jesus encontrou com seus discípulos em Tiberíades na Galileia, e a atitude Jesus para com Pedro foi de restauração, essa experiência de Pedro nos leva a algumas ponderações a respeito da vida e ministério(liderança) cristã, e nos ajuda a encontrar os caminhos para a restauração e o conserto daquilo que podemos chamar de desastres da vida.

Desastres da vida: Na caminhada crista, por vezes entraremos no que podemos chamar de caminhos tortuosos, falhas, erros, pecados, situações que não pretendíamos viver nem jamais nos acharíamos capazes de nos envolvermos, todos nós podemos a qualquer momento ser surpreendidos e enlaçados em pecados que são chocantes demais até para contados, porem, quando, “e se” isso acontecer, devemos buscar o caminho da restauração, mas a pergunta é, nesses casos, há restauração? Existem formas de ajudar pessoas que estão passando por tragédias pessoais, quais são os passos para vencermos tragédias pessoais, como consertar erros?

1- Reconhecimento dos Erros e Pecados: por causa do orgulho muitas pessoas não conseguem se levantar após uma queda, o orgulhos as impede de reconhecer seus erros, temem mais pela reputação do que pelo pecado que entristece Deus, perguntas como: o que os outros vão dizer de mim, estão sempre nos pensamentos, e isso impede-os de dar os passos necessários para que o coração se abra para consertar e mudar, e reconhecer o erro pecado, voltar atrás e reparar o que foi quebrado, aqui o essencial é o arrependimento, mas na maioria das vezes o que acontece é um constrangimento apenas, pelo pecado ou o erro ter sido descoberto, ou a pessoa passa a buscar no seu passado ou em fatos que lhe ocorreram para justificar tal atitude errada, foi o diabo que me forçou, foi a infância sofrida que tive etc.., as vezes algumas dessas coisas procedem, mas na maioria esmagadora das vezes são puras desculpas.

No Salmo 147, 3 “Deus cura os de coração quebrantado”, quebrantamento diante de Deus, é a capacidade humana em reconhecer os erros enfrentar as consequências e buscar ajuda de Deus para superá-los

2- a DOR do reconhecimento: Enfrentar os problemas não é uma coisa fácil, mas nós cristãos devemos conhecer bem esse versículo da Palavra  que diz Lc 12, 2 “Nada há encoberto que não venha a ser revelado, e oculto que não venha a ser conhecido”, porem sempre relutamos quanto a essa verdade achando que no nosso caso será aberto uma exceção, Deus terá uma tolerância especial para conosco, praticamos o pecado, persistimos no erro e achamos desculpas para seguir pecando, essa é a dinâmica do homem longe de Deus, enfim acaba acontecendo o temido, o erro o pecado é descoberto, é exposto, é revelado, vem então a vergonha, a dor a tristeza, e pior as pessoas a quem mais amamos acabam sofrendo danos dessas escolhas, sofrem por nossa causa, o pecado nunca fica no âmbito pessoal apenas, ela ele se espalha ao nosso redor e como fogo ardente toca a tudo e todos que amamos, as vezes traumas irreparáveis acontecem.

3- A DOR  da Perda do Poder: a dor da perda da influencia e da credibilidade precisa ser encarada para todos aquele que acaba falando e agindo antes de pensar, se pudéssemos antever a quantidade de prejuízo que algumas ações nos trariam, certamente nós as evitaríamos, se soubéssemos como nossos filhos sofreriam não adulteraríamos, se soubéssemos a dor de uma mãe que irá velar seu filho,, certamente teríamos menos assassinos, quando acumulamos perdas, acabamos acumulando um forte senso de baixa-auto-estima e pensamentos do tipo.

“Deus não me ama”

“Não mereço nem a morte”

“Satanás teve uma grande vitória sobre a minha vida”

”Dessa vez nunca mais me levantarei”

4- O Confronto Necessário: precisamos de pessoa que nos confrontem, que apontem nossos erros com firmeza e objetividade, diga onde erramos e o que devemos fazer para poder superar tudo e prosseguir, quanto aliamos a atitude correta e a disposição necessária para obedecer essas orientações, encontraremos a benção do conserto. Precisamos de confrontação nas áreas:

Vida Familiar

Vida devocional, oração e serviço cristão

Sobre nossa vida financeira

Se vivemos na pureza ou impureza de mente.

O confronto sempre gera desconforto, e precisamos de humildade para associar à voz do confrontador a voz de Deus para nossas vidas, pois Deus sempre nos falara através de um irmão/ã.

5- Os Consertos que devem ser feitos: percebemos uma geração que tenta esconder seus erros e fugir das suas consequências, isso é ilusão, achar que os problemas se resolvem sozinhos, as pessoas afetadas por nossas ações e escolhas erradas precisam ser reparadas, seja pelo pedido de perdão, ou às vezes pela reposição de danos até mesmo em áreas financeiras, ao desprezarmos essas orientações da Palavra de Deus, estamos vendo uma geração onde a DEPRESSÃO tem aumentado em níveis alarmantes, onde uma das possíveis causas, é a falta de reparação ema ações desse tipo.

6- A Lenta Recuperação: não podemos nos iludir, achando que só o fato de reconhecermos os nossos erros eles serão  automaticamente corrigidos, questões precisam ser resolvidas, curas feitas, Deus precisa agir em sua infinita graça, relacionamentos precisarão ser refeitos confiança perdida resgatada, e algumas situações o tempo será crucial para isso. Precisamos que perdoar não é esquecer, mas é lembrar sem que aquilo nos cause tanta dor.

7- Liberdade para ajudar Outros: as Escrituras dizem: “Onde abondou o pecado, superabundou a graça” Rm 5,20. Deus pode usar toda e qualquer situação de nossa história de vida, marcas de dores e cicatrizes para que no final ajudemos a outros a superarem aquilo que um dia quase nos exterminou, a recuperação as pessoas é o alvo do coração de Deus, ele é o maior interessado em nossa recuperação, para isso Ele usa a mais poderosa ferramenta, o PERDÃO.

 

Extraído do Livro “Liderança Exemplar”

Josadak Lima e Cícero Bezerra