SANTIDADE E TESTEMUNHO

Em homenagem ao Bispo Richard S. Canfield (que nos deixou nesse mês de agosto), transcrevemos aqui a mensagem escrita por ele na introdução de seu livro 'Unção na Dinâmica da Igreja'.

A confusão religiosa dos nossos dias é algo que nos inquieta e vem trazendo sérias consequências na caminhada da Igreja. É urgente a redescoberta da experiência vital do Evangelho, poder de Deus, em nossa vida pessoal e na vida da igreja.

Os meios de comunicação, especialmente a televisão, despejam dentro de nossas casas uma avalanche de informações sobre os mais variados assuntos, especialmente, difundindo os cultos mais exóticos, suas crenças, superstições, levando os telespectadores a confundir a fé verdadeira com as mais variadas crendices.

É nesse tempo que temos de ser testemunhas de um Evangelho que é Vida Plena em Cristo Jesus. É tempo de mostramos que nossa fé está firmemente alicerçada naquele que é a Rocha, nosso Senhor Jesus Cristo.

O Evangelho é vida transformada pelo poder de Deus através do Espírito Santo. E os sinais desta nova vida têm que ser visíveis, como o foi na Igreja Primitiva quando o povo olhando para a intrepidez de Pedro e João "reconheceram que eles haviam estado com Jesus"(Atos 4.13). "Com grande poder, os apóstolos davam testemunho da ressurreição do Senhor Jesus, e em todos eles havia abundante graça"(Atos 4.33).

Para que o nosso testemunho seja vivo é necessário santidade de vida, pois a Santificação é a vontade de Deus (I Ts 4.3). Temos um compromisso com o Senhor de "proclamarmos as virtudes daquele que nos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz" (I Pe 2.9).

"Segundo é santo aquele que vos chamou, tornai-vos santos também vós mesmos em todo o vosso procedimento, porque escrito está: Sede santos, porque eu sou santo" (I Pe 1.15-16)

O apóstolo Pedro nos fala que santidade é um imperativo, um mandamento de Deus, pois sem santidade de vida o mundo não vai fazer diferença entre aquele que crê em Jesus daquele que não crê. Para vivermos em santidade de vida precisamos do poder do Espírito Santo. "Andai no Espirito e jamais satisfareis a concupiscência da carne" (Gl 5.16).

Uma Igreja só pode cumprir o seu compromisso de testemunhar a vitalidade do Evangelho na unção do Espírito Santo e, consequentemente, em santidade de vida.

Bispo Richard (em memoria)