"...Portanto não vos entristeçais; porque a alegria do Senhor é a vossa força" (Neemias 8.10).

As palavras "alegria! e "regozijo" e a expressão "alegrai-vos" são mencionadas pelo menos doze vezes na pequena carta do apóstolo Paulo aos filipenses. Esse fato é digno de nota especialmente pelo fato de que Paulo escreveu essa carta quando estava em preso em Roma. A situação do apóstolo era difícil e o seu futuro parecia incerto.

O que nos possibilita ter alegria em circunstâncias difíceis? Essa é uma pergunta importante para todos nós nesse tempo difícil que vivenciamos.

Em primeiro lugar, podemos nos alegrar em circunstâncias difíceis por causa do cuidado de Deus. Lembremos as palavras de Moisés à segunda geração de Israelitas que havia sobrevivido 38 anos vagando pelo deserto: "E te alegrarás por todo o bem que o Senhor teu Deus te tem dado a ti e à tua casa, tu e o levita, e o estrangeiro que está no meio de ti" (Deuteronômio 26.11). Deus cuida de você e de mim em tempos difíceis.

Em segundo lugar, podemos nos alegrar em circunstâncias difíceis porque somos cidadãos/ãs do céu. Em outras palavras, porque cremos na vida eterna.
Nas palavras do apóstolo Paulo: "... as aflições deste tempo presente não são para comparar com a glória que em nós há de ser revelada" (Romanos 8.18).

Houve um tempo em que se falava com frequência sobre esperança na vida eterna. Muitos dos nossos cânticos abordavam essa temática. Hoje as pessoas preferem uma ênfase pragmática: felicidade agora; tudo tem que acontecer rápido. Crer e falar da esperança de vida eterna parece até antiquado.

Lembremo-nos, porém, do alerta do apóstolo Paulo: "Se esperamos em Cristo só nessa vida, somos as mais infelizes das pessoas" (I Coríntios 15.19).

Alegremo-nos no Senhor em todas as circunstâncias porque Deus cuida de nós e porque somos cidadãos/ãs do céu. Temos a garantia da vida eterna.

Bispo João Carlos